(31) 99667-1606 (Vivo) Marcus Vinícius Evaristo
(31) 98838-9540 (Tim) Fernando Bones
(31) 98759-8350 (Oi) Tiago Sales Gomes

banda.aldan@gmail.com

Fotos em alta resolução

Rider técnico
Aldan lança seu novo disco “daDAdaDAdaDAdaDAdaDAdaDA…”

A Aldan acaba de disponibilizar seu quarto disco “daDAdaDAdaDAdaDAdaDAdaDA…” (Geração Perdida, 2017) em várias plataformas. O álbum é resultado da busca da banda por uma sonoridade variada, autointitulada anti-rock e/ou afronoise, com referências que vão do punk cru das Mercenárias ao maximalismo de Frank Zappa, em meio às letras espirituais, políticas e ultra pessoais.

O sucessor de “Pode ser que daqui a algum tempo eu tenha 30” (Independente, 2015) tem 11 faixas e conta com a primeira regravação da banda. É a versão de “Você tem todas as unhas e todos dentes”, do compositor/youtuber Edevaldo, gravada 100% ao vivo. A produção é do baixista Fernando Bones, que após uma imersão da banda em um sítio em Itatiaiuçú (MG), mesclou gravações realizadas em casa e em estúdios profissionais de Belo Horizonte.

Outra novidade são as várias participações especiais: Jair Naves, Gabriel de Sousa (maquinas), Bruna Vilela (Miêta), Thales Silva (Minimalista/A Fase Rosa), Daniel Nunes (Lise/Constantina), Fábio de Carvalho e seu pai, Ricardo Penido. “No ‘Pode Ser (...)’ fomos muitos rígidos e fechados com a gente mesmo, porque estávamos diante de uma mudança de som muito forte. Nesse queríamos uma produção mais fluida, colaborativa.” Diz um dos vocalistas, Marcus Vinícius Evaristo. O novo trabalho também marca a entrada (oficial) da Aldan para o coletivo/selo Geração Perdida de Minas Gerais.

A ilustração da capa é assinada pela Paola Rodrigues e a foto é de Flávio Charchar.

Aldan

Anti-rock de Belo Horizonte formada por Marcus Vinícius Evaristo (voz e guitarra), Fernando Bones (voz e baixo), Davi Brêtas (guitarra) e Bruno Carlos (bateria). Em dez 10 anos de atividade, a banda passou por diversos estados brasileiros, como Rio de Janeiro, São Paulo, Alagoas, Pernambuco, Bahia e Pará. Lançou os álbuns “Você já roubou hoje?” (2010, Coletivo Pegada), Uma nova humilhação (2012, Membrana), “Pode ser que daqui a algum tempo eu tenha 30” (2015, Independente) e agora apresenta o “daDAdaDAdaDAdaDAdaDAdaDA…” (2017, Geração Perdida).